Baqueta Quebrada

Ha tempos em que ela
e a irmã vinham em ritmos acelerados
e doces baladas, mas com ganância eram
tocadas

para cima e para baixo as vezes leve,
as vezes pesada.
As vezes ao centro acertava, as vezes um rufo,as vezes
um toque de aro delicado tocava.

De um encontro ao ride sentira a pressão do andamento
acelerado, era um rock pesado.
Com velocidade passara pelos irmãos de 10 e 12
polegadas e acabara
em um crash , em seu pescoço uma fissura ficara.

Tentou continuar por mais uma vez a segunda parte do refrão,
Agora um “rimshot” estava acabando com ela, mas era preciso, era a chegada a hora.
Sentira as ferpas e farelos de seu corpo cairem pelo chão, a ponta de nailón voara e nunca mais fora encontrada.

Será que aguentaria mais uma virada?
Será que chegaria ao crash novamente, ou acabaria sua carreira alí mesmo sobre a caixa?

Bumbo e flam tocaram, e passaram novamente pelos irmãos de 10 ,12 e 16 polegadas.
Ao final da virada encontrara um crash com a volúpia
da última nota tocada.
Parecia só mais um final de canção, mas era o final de sua jornada.

Seus pedaços e lascas agora pelo chão ao baterista eram lamentados.
Sua irmã na mão esquerda entre os dedos, olhara os restos que sobraram da batalha.

Terminava a carreira de mais uma baqueta quebrada.

———————————————————————

GLOSSÁRIO:

rufo: som dos tambores tocados em várias notas por segundo;

caixa, bumbo: peças da bateria

10, 12 e 16 polegadas: tamanho dos tambores.

ride: prato de condução.

crash: prato de ataque ou de acento.

rimshot: toque na bateria que costuma pegar a pele e o aro do tambor ao mesmo tempo, dando um som mais alto e encorpado.

virada: improviso na bateria, também conhecido popularmente como “rolo”.

Flam: movimento feito com as duas mãos que resultam no som “prá”.